Priscilla McInnes Queiroz Campos

IAG exerce opção de 18 Boeing 787 para substituir B747-400 da British Airways

A holding IAG, que junta a British Airways e a Iberia, anuncia hoje que exerceu a opção que tinha para receber da Boeing mais 18 Boeing B787-Dreamliner, um avião actualmente ‘pregado ao solo’ pelas autoridades aeronáuticas, que estão a investigar incidentes ocorridos em Janeiro, alegadamente provocados por aquecimento das suas baterias.
Uma comunicação do IAG à Bolsa de Madrid indica que esses 18 B787 destinam-se à renovação, entre 2017 e 2021, da frota de longo curso da sua subsidiária britânica, designadamente para substituir os B747-400.


Para a Iberia, acrescenta a informação, foram estabelecidas com a Boeing “condições comerciais e reservas de entregas que podem derivar num pedido de aviões Boeing 787”, mas só fará encomendas firmes quando a subsidiária espanhola estiver “reestruturada e reduzido a sua base de custos, de tal modo que se encontre em posição de crescer de forma rentável”.
O CEO do IAG, Willie Walsh, citado nessa informação, destacou que com os B787 a British Airways alcançará reduções de 20% no custo unitário de combustível (por lugar e quilómetro percorrido), graças a nova tecnologia dos motores e melhor aerodinâmica do aparelho, bem como reduzirá as emissões de CO2 para a atmosfera.
Na mesma declaração, em que Walsh elogia o B787, afirmando que permitirá “um salto quanto à eficiência no consumo de combustível”, mas sem qualquer referência aos problemas detectados e que levaram à suspensão da sua actividade, o CEO do IAG também destaca que a criação da holding permitiu “um maior poder de compra” para as suas companhias e diz que foi graças a isso que foram “capazes de obter reservas de entregas para a Iberia como parte do pedido da British Airways”.
Esta declaração parece destinada a ‘acalmar os ânimos’ em Espanha, onde se têm feito ouvir vozes a criticar a integração da Iberia com a British Airways, designadamente por um alegado favorecimento da britânica.
O comunicado do IAG assinala que actualmente a British Airways tem 118 aviões widebody e têm encomendados mais 42, incluindo 12 A380, 24 B787 e seis B777-300ER. A Iberia, por sua vez, tem 31 e tem uma encomenda de seis A330.
No mês passado os sindicatos da Iberia, à excepção dos pilotos, chegaram a um acordo com a companhia em torno da proposta avançada pelo mediador indicado pelo Governo, aceitando assim uma redução de 3.141 postos de trabalho.


Nos últimos dias, a imprensa internacional estava a noticiar que o IAG se preparava para formalizar uma ordem de compra para a British Airways de Airbus A350, o avião que também foi a opção da TAP para a renovação da sua frota de longo curso.
A confirmar-se essa informação, avançada primeiro pelo ‘Wall Street Journal”, seria uma vitória do fabricante europeu em relação ao rival norte-americano, atendendo a que a Boeing é que tem sido o principal fornecedor de aviões de longo curso para a British Airways, acrescentavam essas notícias.


As informações são"Presstur ".Sempre é citado o link de referência.

Priscilla McInnes Queiroz Campos

About Priscilla McInnes Queiroz Campos -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :
© Copyright 2017 12Aérea News. Designed by HTML5 | Distributed By . G12horas.Aerea.